Quando se pisa pela primeira vez em uma quadra de beach tennis é normal que surjam algumas dúvidas sobre técnica e posicionamento em quadra, seja você um tenista experiente ou um iniciante em modalidades com raquetes. Apesar da grande semelhança dos golpes de tênis, o beach tennis exige menos ênfase na parte técnica, o que possibilita uma aprendizagem mais rápida. No posicionamento, os jogadores têm mais liberdade e opções de jogadas, já que sacadores e devolvedores podem iniciar o ponto em qualquer região da quadra.

Devido à curta distância entre os adversários e impossibilidade do quique da bola na areia, o beach tennis é um esporte muito dinâmico e que exige curto tempo de reação dos jogadores. Logo, a primeira dica técnica é segurar a raquete com apenas uma empunhadura para todos os golpes, com a possibilidade de leves ajustes de acordo com a necessidade de cada jogador. Já que são usados voleio, smash e saque, a empunhadura Continental, assim como no tênis, é a indicada – e também a mais usada – para esses golpes.

Com a empunhadura correta, o próximo passo é ajustar a posição inicial dos golpes, em que a raquete deve se manter à frente do corpo e elevada, aproximadamente à altura dos ombros. Dessa maneira, é possível que o contato com a bola seja feito acima do nível da rede, possibilitando golpes mais agressivos.

Considerando o curto tempo de reação, é fundamental que a preparação do golpe seja curta e que o movimento seja simples, para evitar o atraso do contato da raquete com a bola. É exatamente essa simplicidade dos golpes – com pequena amplitude e praticamente sem efeito – que torna o beach tennis um esporte muito fácil de ser aprendido.

Para quem não tem o hábito de praticar atividades físicas na areia, o deslocamento para golpear a bola pode ser complicado no início. Por isso, é preferível ter o objetivo de movimentar o adversário com bolas bem direcionadas a tentar executar golpes com muita potência. À medida que o jogador ganha experiência nas areias, é comum que ele observe uma evolução na capacidade de se movimentar em quadra.

Os pontos em uma partida tendem a ser curtos, o que aumenta a importância da boa execução dos primeiros golpes da disputa. Nos níveis iniciante e intermediário, os pontos têm, em média, quatro ou cinco trocas de bola. Entre jogadores mais experientes, com o aumento da velocidade e do nível do jogo, essa média é reduzida para cerca de três trocas de bola.

Esses números reforçam a importância do serviço, que, por ser o golpe que dá início ao ponto, pode colocar a dupla sacadora em vantagem. Saques com velocidades e direções variadas são indicados para dificultar a devolução dos adversários.

De maneira geral, considerando o posicionamento ideal, os jogadores devem estar da metade da quadra para frente – 3 a 4 metros da rede – para terem a chance de executar golpes mais agressivos. Recomenda-se que os dois jogadores estejam alinhados, mas é comum um dos parceiros se posicionar um pouco para trás quando os adversários estiverem utilizando o lobby com frequência.

Fonte: Revista Tênis/Uol

Deixe uma resposta